quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

E esse tal minimalismo? Funciona na vida de uma costureira?


É uma febre. Qualquer revista que você abra vai acabar encontrando umartigo sobre a tal vida minimalista. Pode ser na publicação semanal de notícias, na revista de decoração, no site de receitas culinárias e até nos almanaques de moda. Por todo lado, vemos dicas de como reduzir o guarda roupa, como acumular menos móveis e bibelôs, como cozinhar com menos panelas e por aí vai...

Agora, você, costureira amiga! Sim, vamos ter uma conversa sincera. Por favor, me conta. Como viver de um jeito minimalista quando você ama um craft? Olha, eu tenho tentado fazer a minha parte. Mas, esse é um desafio dos grandes.




Tudo começou quando decidimos mudar para os Estados Unidos. Não trouxemos mudança, então foi aquele drama: 2 malas para cada pessoa da família. Era o resumo do resumo, só os itens do coração. O que significou para mim escolher tecidos, botões, moldes e livros. Sim, eu deixei sapatos e calças jeans para ocupar meu precioso espaço na bagagem com materiais craft.

E ainda sobrou muito no meu quarto de costura_ uma quantidade exorbitante_ o suficiente para fazer um bazar e vender para os amigos. Confesso que fiquei assustada enquanto reunia os itens e colocava os preços. Pra que diaxos eu precisei comprar e acumular tanta coisa nos últimos 10 anos?

Bem, eu teria mil justificativas. Poderia fazer uma lista. Dizer que eu aproveitava promoçoes, que gostava de procurar novidades quando viajava (Hum! E ainda gosto), que morava longe dos armarinhos e por isso preferia o conforto de ter todas as variedades de botões e linhas nas minhas gavetas.

Vamos combinar? Loucura pura. Ou melhor, consumismo na veia. E o frustante é ver que com o tempo tecidos que significavam muito e pareciam os mais incríveis do mundo passam a ser feios. De tanto olhar aquelas cores e estampas, eles perdem o brilho_ ainda que continuem os mesmíssimos que saíram da loja.

Há 1 ano tenho tentado seguir uma nova direção. Por exemplo, no caso dos tecidos a regra é comprar e cortar. Mas nem sempre funciona. Continuo a boba que tem dó quando o tecido foi muito caro ou quando acha ele tão lindo que nenhum projeto é suficientemente adequado.

A pilha de moldes já cresceu de novo e muitos ainda estão na embalagem. Será que estou recomeçando a juntar, juntar, juntar?

Enfim, é uma eterna busca, um longo policiamento. Nessa América onde tudo é vendido e a indústria adivinha nossos desejos muito antes de sabermos que eles existem fica ainda mais complicado. Mas tenho tentado ver a situaçao pelo outro lado: penso que as mercadorias estao a distância de um número de cartão de crédito e um clique e mentalizo: nao faz nenhum sentido encher armários.

Avancei bastante, mas ainda há um longo caminho até alcançar a tal vida minimalista pregada nas revistas. Nessa minha nova fase, estou bem resolvida com a quantidade de pratos, louças, maquiagens e roupas.
Mas você, minha amiga costureira, vai me entender: quando o assunto é tecido, botão e linhas, o coração é mais fraco. Será que um dia eu chego lá? Sinceramente, lá no fundo, não sei se posso. Não sei se quero.

E você? É da turma do acumula? Ou já passou disso? Me conta???

10 comentários:

  1. Relaxa! Você ja foi muito minimalista nessa mudança, deixou tantas coisas pra trás! Acumular um pouquinho de algo qye te trás tanta alegria e aprendizado não faz mal algum! Eu consigo ser minimalista em quase tudo, menos no meu lado costureira! Deixo de comprar qualquer coisa pra comprar tecido! Quando alguém viaja e pergunta o que eu quero, respondo na hora: tecido! E sempre compramos pensando num projeto. O tempo passa e o tecido acaba virando outra coisa completamente diferente: vai colorir outra casa, dar boas vindas a um bebê querido, fazer parte da vida de outra pessoa... acho isso mágico! ♡♡♡

    Bj
    Gi da Casa de Algodão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gi, sou completamente igual a voce. Nem penso duas vezes. O que eu quero? Tecidos, moldes, aviamentos, revistas de costura!!!

      Ha ano decidi firmemente comprar cada vez menos roupas em lojas. Olha! Que diferenca, viu? Preciso alias escrever sobre isso...

      Beijo imenso! E viva a magia produzida pelas nossas maquinas.

      Excluir
  2. Oi, Vivi querida!!! Eu sou uma pessoa bem tranquila em relação a consumo de roupas, sapatos. Mas quando eu entro em um viveiro de plantas ou uma floricultura meu equilíbrio vai por água abaixo, fico tão feliz de voltar pra casa com uma orquídea linda e florida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tambem gosto de flores, Ester! E aqui nos Estados Unidos encontro belas variedades no supermercado. Toda semana trago um buquezinho pra casa. Essa semana tem tulipas amarelas encantando a minha cozinha!

      Excluir
  3. Vivi se fosse antigamente acho que seria sim. Minha mãe usava só um calcador comum pra fazer tudo, hoje se formos minimalistas no mínimo temos três (comum, zíper comum e zíper invisível). Existem muitos produtos que facilitam nosso trabalho, não são indispensáveis mas se tornam muito atraentes pelas facilidades que proporcionam. Isso sem falar nos tecidos... Eu não tenho muita coisa, tento me manter com o essencial e quando compro algo que acabo não usando, passo pra frente, pra alguém que vá usar. Tenho uma janome 2008, alguns acessórios e uma mesinha, ainda falta uma overloque e tempo pra costurar. Beijo, Gisele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Gisele! Invista na overloque! Tenho certeza que voce nao vai se arrepender... O acabamento das roupas fica otimo e facilita bastante para costurar malhas. Vai ou nao vai para a lista de prioridades??

      Excluir
  4. Te entendo completamente! Tento nao consumir muito nem gastar com besteira e de uns tempos para cá tb aplicar a costura. Tenho destes tecidos caros que deu pena cortar e de tanto olhar nao tenho projeto :-(! Rb decidi comprar só o necesario pensndo já no projeto. Tenho pensado muito na quantidade de roupa que se fabrica a diario e enchen as lojas cada semana, sem contar o deshumano que é o lado da fabricaçao . Vejo que a moda agora é a sustentabilidade, a moda sustenivel. As pessoas realmente sao consciente do mundo de agora? Do que està por vir? Acho que nao, é tao fácil y accesivel comprar ropa nova mas e depois? Como vamos frenar nosso impulso de consumo? Isso que o mercado vem educando a gente desde anos atras :-S! Por certo , adorei teu igstories do museo Fit! Abraço desde Spain!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hola Naii!!! (Ai como eu queria saber falar espanhol direitinho!!).
      Mudei muito minha relacao com as compras de roupas desde que me mudei para os Estados Unidos. Fico horrorizada quando vejo andares inteiros abarrotados de calcas, blusas, camisetas nas redes de fast fashion. Se voce voltar a mesma loja 10 dias depois, ja vera tudo diferente.

      Eu me pergunto: quem compra tudo isso? Quem costura tudo isso? De onde vem tanta materia prima? As pessoas precisam mesmo de 20 calcas jeans no armario (eu ja tive essa quantidades e so vestia 2)? Decidi que nao quero fazer parte desse consumismo desenfreado. Valorizo o que tenho, cuido para durar e penso muiiiito antes de levar pra casa.

      beijooooo! Obrigada pelo retorno do IGstories do museu FIT. Vou pensar em outros lugares bacanas para mostrar.

      Excluir
  5. Vivi, que post bacana. Tenho passado por isso constantemente. nos últimos 3 anos mudei algumas vezes de cidade/estado. Que desespero pq parece que os tecidos, aviamentos e tudo mais não acabam nunca! É nessa hora que, como você mesmo escreveu, percebemos o quanto acumulamos. Em casa, olho para o meu atelie e aquela pilha de tecidos, Meu Deus!!! Antes do Natal prometi que só compraria o necessário e talvez uma novidade ou outra. Tenho me controlado bem até, me aflige muito olhar para todos aqueles tecidos e fico pensando as vezes, "quantos anos será que levarei para usar tudo isso" haha. Bjos BJos

    Gabriela Gervoni - GarotaEco Ateliê

    ResponderExcluir
  6. Oi vivi, acabei de entrar so seu blog e de cara ja simpatizei demais contigo. Tb adoro costurar, aprendi algma coisa mas para mim e uma paixao sofrida. Roupas para mim e um tabu. Tentei algumas vezes e nunca ficou uma coisa de que me orulhasse entao decidi nunca mais costurar roupas, mas ai entro no seu blog e me bate aquela vontade de tentar mais uma vez... me da uma dica de um jeito mais facil de comecar a costurar roupas!!

    ResponderExcluir

Ei, estou curiosa para saber o que você achou. É só escrever aqui, clicar duas vezes, e postar... Vamos alinhavar este papo?