segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Bonequinha de pano

Costurei essa bonequinha de pano para Alice quando ela estava dentro da minha barriga. Fiz devargarzinho, sem pressa, me entretendo com cada detalhe!
 
Hoje fico muito emocionada quando observo que mesmo com tantas Lallalloopsies, My Little Poney, Legos e princesas da Disney, ela ainda curta tanto o brinquedinho feito por mim!






Aprendi a costurar essa boneca há uns 4 anos (ou mais?) com a minha amiga talentosa  Morgânia Almeida. Já fiz outras (como as Tildas), mas ainda prefiro esse molde. Achei em um blog de uma moça italiana, mas não lembro mais o link...


O ensaio foi fotografado pela Ruby Fernandes, na semana em que Alice completou 2 anos. Gosto de manter esses registros do crescimento das minhas crianças. Já estou me planejando para fazer o próximo, na chegada dos 3!


Sinal de brinquedo bem aproveitado: o feltro amarelo já puído, cheio de bolinhas. Isso é vida!



E você? Já costurou algo especial para seus filhos, sobrinhos ou afilhados? Crianças sempre nos inspiram... não é mesmo?

Beijo e boa semana! Vamo que vamo....

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Costurar para relaxar

 
Tem hora que estou cansada, estressada e tudo o que eu quero é uma costurinha para relaxar! Esse é o pior momento para encarar projetos novos ou testar moldes que ainda precisam de ajustes . Socorro! Tudo o que eu quero é ficar na minha zona de conforto e costurar algo que eu já saiba fazer sem precisar me concentrar muito.
 
Daí nada melhor do que correr para a máquina e fazer uma necessaire.  Elas são simples, rápidas e extremamente úteis! Boas para colocar na bolsa, na mala ou para mimar alguém do coração!
 



terça-feira, 9 de setembro de 2014

Malha: minha nova mania!


Costurar malha é minha nova mania. Sempre tive curiosidade, mas sentia medo. Muita gente falava que era difícil, o corte nunca prestava e precisava de máquina especial para os acabamentos. Fiz um curso online no Craftsy e vi que tudo isso é bobagem!


Bom, pra começo de conversa... acertar a modelagem é bem mais fácil. Os tamanhos variam menos e o tecido amigo estica e acompanha as curvas do corpo.
 
Para cortar é preciso um pouco de cuidado porque há risco da malha esticar enquanto você passa a tesoura. Mas nada dramático! Só alfinetar e ficar atento! O tecido listrado (meu guarda roupa anda que nem o da Turma da Mônica. Só que, no meu caso, repleto de blusas listradinhas!) exige um certo domínio. O corte das peças tem que estar bem encontrado. Tenho pavor de listra, xadrez e estampa desencontrada. Deixei de comprar na Farm, por exemplo, porque aquelas estampas lindíssimas estavam sempre descasadas e isso me irritava muito.
 
Nas costuras usei máquina reta, normal. Para os acabamentos usei minha amada overloque. No curso, aprendi a fazer esse acabamento na gola. Fica bem apresentável.


Ainda não acertei 100% o encontro do V. Ali, formou uma pequena pence. Algo para melhorar na próxima blusa. Quero tentar também uma com a gola redonda. Imagino que seja mais fácil.


E você? Curte costurar malha? Já tentou?

domingo, 7 de setembro de 2014

Hello, costureiras! Chegou a Burda brasileira!


Estou sempre na banca em busca de novas revistas de costura. Essa mania começou ainda quando eu era criança. Minha mãe comprava a Manequim. E eu adorava namorar os moldes e sonhar com aqueles vestidos. Muitos saíram do papel e viraram roupa de verdade.
 
Há uns 5 anos descobri a Patrones e a Burda. Ambas importadas. Este mês fui surpreendida quando cheguei a banca e vi o lançamento da Burda versão brasileira. Bingo! Mais uma opção para nós, costureiras tupiniquins!


A revista mantém a mesma estrutura das outras Burdas publicadas ao redor do mundo. A minha seção favorita é a "aula de costura", que mostra de forma bem detalhada o passo a passo de uma peça. É um ótimo recurso para quem está começando a costurar roupas, como eu. A aula da edição número 1 é de um top com ombros de fora e cintura bem marcada. Lindo!


O bacana da Burda é que todas as roupas que estão lá foram costuradas pela equipe que trabalha na revista. Daí eles apresentam diferentes versões para o mesmo molde. De manga longa ou curta. Em um tecido de festa ou outro mais adequado ao dia a dia. Acho bem divertido observar como pequenas variações são capazes de mudar completamente a roupa! Um exercício de criatividade! Fico bem curiosa: como será a redação da revista? Como eles escolhem as pautas, digo, os moldes?
 
Quem já comprava as edições importadas vai reparar que os modelos  não são inéditos e já foram publicados. Ainda não testei nenhuma peça, mas espero que a equipe se lembre que temos corpos bem diferentes das gringas. E não adianta só traduzir as explicações, hein?
 
Por falar em tradução, estranhei um pouco a apresentação dos tecidos. O casaquinho que eu mais gostei _e quero tentar fazer_ é descrito como costurado "em lona". Como assim, lona para fazer uma peça fina dessa?!


A revista lançou também outras interações com as brasileiras: um canal bem didático no You Tube, que explica_ por exemplo_ como copiar os moldes, uma página no Facebook e uma conta no Twitter.
 
Vamos costurar? Bom domingo!
 
 

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Café com bolo de vestido novo!

 
Sim, a vida está cada vez mais corrida! É preciso conciliar o trabalho, os deveres de casa do meu amado filhote Lucas, a lista do supermercado, os treinos na academia, as brincadeiras de boneca com a Pipi, a conversa franca com o marido. E é preciso também sair com as amigas para desabafar, falar bobagem e pedir conselhos. São 2, às vezes 3, horinhas só nossas! Eu, Helena e Ruby nos encontramos sempre. Um bolo e um café no meio da tarde de um dia de semana. Só isso, e já estamos bem felizes!
 
No nosso último encontro, a Ruby levou a máquina fotográfica e daí nosso lanche _ que costuma ser escondido_ ficou todo muito bem registrado.... 

 
Marcamos no Mercado Cobogó. Nossa! Que lugar bacana! Um misto de loja de design, badulaques pra casa, galeria de arte e um café sensacional!




Fomos de torta salgada (mega fofa, bem recheada, novinha) e um bolo de cenoura com chocolate dos sonhos! Ah! E café, claro!




 
Vesti bem orgulhosa meu Coco Dress , costurado a partir do molde que comprei no site  Tilly and The Buttons. Recomendo muito para quem nunca costurou malha, mas tem curiosidade de aprender. Bem simples e rápido. O meu é de malha bouclé (bem grossa, pesada e com pouca elasticidade). Só alterei o acabamento da gola.



E você? Também curte sair para prosear com as amigas? Da próxima vez vá com uma peça feita por você. E depois me conta se o encontro não foi ainda mais especial....

Fotos: Ruby Fernandes

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Com amor, o batizado da Alice!


Sou católica e vou sempre à missa. Faz parte da minha criação. Sinto-me bem quando estou na igreja. Lembro da minha infância quando rezava com a minha mãe. Por isso, fiz questão de batizar meus dois filhos. A celebração da Alice foi no dia em que ela completou dois anos. Eu queria muito que minha pequena Pipi entendesse_ pelo menos um pouquinho_ o que estava se passando. E foi emocionante quando o Irmão Diego jogou água na cabeça e ela gritou: "de novo!". Todos caíram na gargalhada!
 







Os padrinhos são os queridos Felipe e Maíla Basile. A Maíla me ajudou a organizar tudo... e ficamos derretidas de alegria porque saiu do "jeitim" que a gente planejou! Craft missão cumprida!


Depois da igreja, os meus poucos convidados vieram para a minha casa. Não curto recepção em buffet. E, sinceramente, acho que as festas de criança estão ficando grandes demais. Tentamos fazer praticamente tudo à mão! Simples, mas de coração!


 
Para decorar, usei muitas flores naturais. Fiz assim: passei no dia anterior na Ceasa, carreguei o porta malas e trouxe tudo pra casa. Podei e montei os arranjos em vasos de vários tamanhos. Minha amiga Fabi da super Dotpaper está sempre ao meu lado nessas empreitadas. Vieram de lá as louças cor de rosa e os convites_ sempre os mais lindos de Brasília!


Na semana do aniversário, minha amiga fotógrafa Ruby Fernandes fez um ensaio com a Alice. Eu queria muito guardar o registro da carinha fofa dela aos 2 anos. Revelei as fotos e coloquei em porta retratos e em um varalzinho de barbante. Ideia singela, mas que personaliza a festa.



O bolo, os doces e pirulitos foram das meninas do Las Pitangas. Sim, a agenda é lotada. Fica longe pra caramba. Elas não tem serviço de entrega... em compensação, arrasam nas delícias. Adorei tudo!
 
Mas teve também produção Basile! Maíla e nossa sogra talentosa Beth Basile foram para a cozinha e assaram muitas fornadas de cupcakes de chocolate com marshmellow caseiro. Detalhe para a tag de scrapbooking lá no alto dos bolinhos.


O topo de bolo de madeira, pintado à mão, era uma kokeshi. A bonequinha_ que é um carretel de linha_ viajou pelo correio. Encomendei duas. Uma ficou pra mim e a outra foi presente para a madrinha. Trabalho à mão da crafter de Joinville Fabi Sehnem.


Minha mãe, a minha maior referência na costura, criou e presenteou a aniversariante com um vestido bem longo, todo de renda, feito lá em Buritis, no interior de Minas Gerais. Cidade onde não falta mulher prendada, uai sô!


 
E pra encerrar, algo que todo mundo adora: a lembrancinha! A Maíla costurou muitos cones de tecido e recheou com doces. Mais uma sugestão bacana que pode ser feita em casa. O molde é do livro da Tilda.
 
 
Nhami! E para evitar aquele arrependimento por não ter comido mais doces na hora do parabéns, os convidados também levaram marmitinhas com bolo beeeem recheado de brigadeiro. Fiz as tags com papel de scrapbooking, carimbos e fechei com uma fitinha de cetim.




Espero que as ideias sejam úteis para quem está planejando uma festinha handmade.
 
Beijo! Boas costuras!

Fotos: Ruby Fernandes

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Roupa de Boneca _ feita por mim!



Posso dizer que sou uma pessoa completa. E agradeço todos os dias por minhas conquistas. Minha casa, meu marido, meus pais e meus filhos lindos! Ser mãe é um presente que me renova todos os dias. E me obriga a ser mais calma, disciplinada, organizada e amorosa. Ter um bonequinha falante por perto é um alegria sem fim. Minha Alice ri o tempo todo, dança, conversa e adora uma roupa nova! 

Este vestido foi cortado pela minha mãe e costurado por mim. Enquanto trabalhavamos juntas, em uma tranquila tarde de domingo, ouvindo música, Alice brincava em volta da máquina. Quando ela viu o vestido pronto, falou: ''é uma roupa de bailarina!". E começou a rodopiar. Tem estímulo melhor para costurarmos muitos outros?!

Bom feriado, amigas costureiras!